Setrem assina convênio com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul

A Setrem assinou nesta segunda-feira, 10 de janeiro, no Palácio Piratini, um convênio com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul que faz parte do Programa Avançar na Inovação, sendo representada pelo diretor-geral da Setrem, Sandro Ergang e a professora da Faculdade de Agronomia, Cinei Teresinha Riffel.

O projeto, Rede de controle biológico da Região Noroeste e Missões do Rio Grande do Sul, terá como alvo principal o controle biológico de percevejos em soja, o qual contará com dois laboratórios de criação de inimigos naturais desta importante praga, sendo um deles na Setrem, instituição proponente, e outro na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul em São Luis Gonzaga.

O Projeto conta com importantes parceiros, sendo eles: Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – São Luís Gonzaga, COOPATRIGO – São Luís Gonzaga, ACOBIO – Três de Maio e EMBRAPA TRIGO – Passo Fundo.

Durante a vigência do projeto que é de 18 meses, estarão sendo desenvolvidas pesquisas com os principais inimigos naturais de percevejos em soja. Ainda, serão capacitados técnicos e produtores da região a para a condução desta importante ferramenta de controle.

A proposição deste projeto se dá em consonância aos trabalhos desenvolvidos no âmbito do Programa Inova RS na região Noroeste e Missões, em que constituiu a sua visão de futuro direcionada para a estratégia de especialização inteligente de três áreas estratégicas: Agronegócio, Eletrometalmecanico e a Geração de Energia. O intuito do Programa é desenvolver ações para tornar a região uma referência em inovação dessas três áreas. O processo de ideação do projeto foi construído a várias mãos a partir das discussões do Grupo de trabalho (GT) do Agronegócio da Região Noroeste e Missões. Este GT é composto por atores da quádrupla hélice, ou seja, representantes das ICTs, da sociedade civil, governo e empresas. Para a construção das ideias foram aplicados processos metodológicos com o objetivo de construir projetos conectados com a visão de futuro para a região, a qual é “Em 2030, a Região Noroeste e Missões será referência latinoamericana em inovação por meio de uma estratégia de especialização inteligente em agronegócio, eletrometalmecânica e geração de energia”. Tendo em vista a visão de futuro, foram identificados pelos atores os principais desafios do agronegócio da região Noroeste e Missões, destaca-se a “Agregação de valor nos produtos primários” e as “Novas tecnologias para as áreas do agronegócio”. A partir destes desafios, os membros do GT propuseram a montagem de uma biofábrica no Noroeste e Missões do estado do Rio Grande do Sul, para controle biológico de pragas de lavouras, com a soja como cultura modelo.

Fotos: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

Related Posts