Bacharelado em

Agronomia

Acreditamos no plantio de competências para colher resultados

Um profissional que vivencia práticas, implanta e acompanha experimentos e faz pesquisas em parceria com as mais renomadas empresas e instituições públicas ou privadas, ao longo de toda sua formação. Este é o engenheiro agrônomo formado na Setrem, capaz de melhorar e conservar a qualidade e a produtividade de plantações e rebanhos devido ao seu amplo conhecimento em técnicas de cultivo e criação em qualquer etapa da cadeia produtiva.

Melhor curso de Agronomia do RS e entre os 5 melhores cursos de Agronomia do Brasil (IDD)

Bacharelado

Noturno + Diurno

5 anos

Organização Curricular

  Semestre       Disciplina       C.H.       C.H. PAE   

1

1

1

1

1

1

1

1

1

1

Introdução à Agronomia, Legislação e Ética Profissional

Informática

Metodologia da Pesquisa

Matemática

Química

Biologia I

Comunicação e Expressão

Inglês Técnico

Desenho Técnico Aplicado

Sociologia Rural

25

25

50

50

50

50

25

25

25

25

2

2

2

2

2

2

2

2

Agrometeorologia e Climatologia

Estatística

Física

Bioquímica

Biologia II

Anatomia e Fisiologia dos Animais Domésticos

Solos: Gênese, Propriedades e Classificação

Prática Profissional (Fase 1): Prática Acadêmica de Extensão

50

50

50

50

50

25

50

2

23

3

3

3

3

3

3

3

3

3

Técnicas e Análises Experimentais

Fisiologia Vegetal

Topografia e Cartografia

Microbiologia Agrícola

Aptidão, Uso, Manejo e Conservação de Solos

Pastagens e Plantas Forrageiras

Construções Rurais

Energia na Agricultura

Prática Profissional (Fase 2): Prática Acadêmica de Extensão

50

50

50

50

25

50

25

25

2

23

4

4

4

4

4

4

4

4

Genética e Biotecnologia

Fitopatologia Geral

Nutrição de Plantas e Adubação

Geoprocessamento e Georeferenciamento

Bromatologia e  Nutrição Animal

Economia Rural

Máquinas, Mecanização Agrícola e Logística

Prática Profissional (Fase 3): Prática Acadêmica de Extensão

50

25

50

50

50

25

50

2

48

5

5

5

5

5

5

5

5

5

5

5

Fitopatologia Aplicada

Fruticultura Geral

Entomologia Geral

Associativismo e Cooperativismo

Manejo e Gestão Ambiental

Produção e Manejo de Aves

Produção e Manejo de Suínos

Hidráulica e Hidrologia

Manejo e Produção Florestal

Melhoramento Vegetal

Prática Profissional (Fase 4): Prática Acadêmica de Extensão

50

25

50

25

25

25

25

25

25

50

2

23

6

6

6

6

6

6

6

6

6

Plantas de Lavoura I

Entomologia Aplicada

Controle de Plantas Invasoras

Fruticultura Especial

Produção e Manejo de Bovino de Leite

Produção e Manejo de Bovino de Corte

Tecnologia de Aplicação de Defensivos Agrícolas

Floricultura e Paisagismo

Prática Profissional (Fase 5): Prática Acadêmica de Extensão

50

50

50

25

25

25

25

50

2

48

7

7

7

7

7

7

7

7

Tecnologia de Produtos de Origem Animal e Vegetal

Plantas de Lavoura II

Administração Agroindustrial

Controle de Qualidade e Pós-colheita de Produtos Agropecuários

Sistemas de Irrigação e Drenagem

Relações Étnico-Raciais, Direitos Humanos e Cidadania

Olericultura

Prática Profissional (Fase 3): Prática Acadêmica de Extensão

50

50

25

50

50

25

50

2

48

8

8

8

8

8

8

8

8

8

8

Avaliação e Perícias Rurais

Manejo de Bacias Hidrográficas

Comunicação e Extensão Rural

Gestão de Marketing no Agronegócio

Produção e Tecnologia de Sementes

Direito e Legislação Agrária e Ambiental

Sistemas Agroindustriais

Elaboração de Projetos de TCC

Política e Desenvolvimento Rural

Prática Profissional (Fase 7): Prática Acadêmica de Extensão

25

25

25

25

50

50

25

50

25

2

48

9 Trabalho de Conclusão de Curso – TCC 125
10 Estágio Supervisionado 250 100

Eletivas

250

A.C.G. Atividades Complementares de Graduação 75

Carga horária total do curso 3.600

Informações Adicionais

Histórico

A História da Setrem iniciou no ano de 1922, quando a Comunidade Evangélica São Paulo de Três de Maio, ligado à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB criou uma escola de Ensino Fundamental. E, em 22 de Setembro de 1950, foi fundada a Sociedade Educacional Três de Maio – Setrem. Atualmente, estas instituições estão ligadas ao Departamento de Educação da IECLB, que reúne 60 escolas de Educação Básica, sendo que oito delas, incluindo a Setrem – Sociedade Educacional Três de Maio, mantêm Ensino Superior. Estas escolas integram a Rede Sinodal de Educação. A IES possui juntamente com outras sete IES desta rede um Protocolo de Intenções para intercâmbio acadêmico em nível de pesquisa e extensão visando o desenvolvimento integrado destas áreas. A Setrem também faz parte da Associação Brasileira de Instituições Educacionais Evangélicas – ABIEE, uma associação que reúne mais de 300 instituições, com aproximadamente um milhão de alunos. Esta associação também visa cooperação para o desenvolvimento da Educação Cristã no Brasil.
 
Na época da criação da Setrem, um grande número de escolas primárias encontrava-se em situação difícil e conflitiva, porque careciam de professores qualificados. Essa carência fazia-se sentir sobremaneira nas comunidades mais afastadas. Essas comunidades muitas vezes até dispunham do prédio escolar e alunos. Porém, não dispunham de professores qualificados. As aulas eram ministradas por pessoas leigas da própria comunidade. Desse modo, se garantia a escolaridade das crianças. 
 
Consciente dessa realidade, a Setrem – Sociedade Educacional Três de Maio, no dia 10 de maio de 1954, assumiu a responsabilidade de organizar, construir e manter uma Escola Normal Rural com o objetivo de suprir a carência de professores qualificados, principalmente nas escolas de comunidades rurais mais afastadas. Assim, em 1957 foi inaugurada a Escola Normal Regional Getúlio Vargas que cumpriu seu papel até o ano de 1971. Embora tenha havido o fechamento desta Escola, a Faculdade de Três de Maio, criada mais tarde, dentro da Setrem, desde a sua fundação até os dias atuais, mantém a sua vocação em formar e qualificar profissionais aptos a contribuir para o desenvolvimento da comunidade, inclusive na área de educação. Isto é comprovável se lembrarmos que, desde o princípio de sua história, a Setrem e a Comunidade tiveram como propósitos e objetivos comuns, fundar e manter escolas, sem fins lucrativos, para proporcionar educação à juventude desde a educação infantil e, se possível, até o ensino superior, além de formar professores rurais a serviço de escolas e comunidades ou onde pudessem ser úteis.
 
A reforma do ensino em 1970 determinou profundas mudanças no sistema educacional do País e em função dela, se fizeram necessário remodelar cursos, criar novos e adaptá-los de modo a se ajustarem às exigências da nova legislação em vigor. A transformação mais expressiva certamente ocorreu na Unidade Getúlio Vargas, cujo Curso Normal, em vias de extinção, deu lugar ao Colégio Presidente Getúlio Vargas, com o Curso Técnico em Agropecuária, em 1971.  A consolidação desse novo curso tornou-se possível graças à compreensão da American Lutheran Church que contemplou a Setrem com recursos para prover o Colégio com a indispensável infraestrutura agropecuária, nos moldes de uma escola-fazenda. 
 
Em 1973, deu-se a incorporação do Curso Superior da Faculdade de Administração Três de Maio, por convênio firmado com a Prefeitura Municipal de Três de Maio, que possuía o curso de Administração na cidade, mas em convênio com a Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. No ano de 1979 a Setrem instituiu um curso de segundo grau científico, com o Curso de Preparação para o Trabalho, hoje Ensino Médio, funcionando paralelamente ao Técnico em Agropecuária, visando preparar os alunos para o ingresso nos cursos de 3º grau, atualmente Ensino Superior.
 
Em 2000 a Setrem assinou convênio com o PROEP – Programa de Reestruturação e Expansão do Ensino Profissionalizante, da SEMTEC/MEC, que proveu a instituição com investimentos na ordem de R$ 2.000.000,00, para ampliação e modernização dos ambientes necessários para a formação básica e técnica dos cursos Técnicos em Agropecuária e Informática.
 
Para a formação básica foram estruturados novos laboratórios de Biologia/Química, Microbiologia, Física/Termodinâmica, Laboratório de Solos, com seus respectivos equipamentos e materiais.  Ainda em 2000, através do PQMES – Programa de Qualificação e Modernização do Ensino Superior do MEC/BNDES, a Setrem contraiu empréstimo na ordem de R$ 350.000,00, em condições especiais de mercado, para investir na construção e mobília de um novo prédio, no qual foram instalados os referidos laboratórios e cinco salas de aula. 
 
Para a formação técnica ampliou-se a estrutura física da Agroindústria e modernizaram-se os equipamentos nas áreas de lácteos, cárneos e vegetais. Também foi modernizado o setor de bovinocultura de leite com a construção de um novo tambo, equipado com um conjunto de ordenha mecanizada/informatizado, resfriador de expansão e uma fábrica de ração. Para a realização do curso de Inseminação Artificial em bovinos construiu-se uma instalação específica, adquirindo-se os equipamentos/materiais necessários. 
 
No setor de horticultura foram realizadas ampliações e aquisição de novos equipamentos. Entre estas ampliações estão à construção de estufas agrícolas para a produção de mudas de hortaliças, cultivo hidropônico, produção de flores de corte e vaso, produção de mudas de espécies frutíferas e florestais. Também foi adquirido um sistema de irrigação por aspersão para o cultivo de hortaliças a campo. Já na área da fruticultura, foram adquiridas mudas das espécies que se adaptam à região possibilitando a ampliação do pomar didático. 
 
No ano de 2002 a Setrem firmou convênio com o CEFET – Centro Federal de Educação Técnica para a promoção do Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes para as Disciplinas do Currículo da Educação Profissional de Nível Técnico. Este programa propiciou o atendimento à legislação vigente quanto a qualificação de professores para o ensino profissionalizante, ora em expansão, além de qualificar os docentes da instituição. 
 
Neste mesmo ano, a Instituição comemorou seus 80 anos. Para tanto, vários eventos de significância regional foram desenvolvidos pela instituição, destacando-se os eventos relacionados ao agronegócio como o Programa de Desenvolvimento do Noroeste do Rio Grande do Sul, o Simpósio de Alternativas Regionais e Fórum Regional de Desenvolvimento Integrado, o Salão Estadual de Iniciação Científica, os Dias de Campo: Culturas de Verão, Pecuária, Culturas de Inverno, Floricultura e Paisagismo, Milho e Girassol, o Dias de ex-alunos.
 
Ainda em 2002, conquista o 3º Lugar no Prêmio Técnico Empreendedor – Etapa Nacional com o projeto Produção e Comercialização de Leite Orgânico desenvolvido pelos estudantes do Curso Técnico em Agropecuária. 
 
No inicio de 2004, o MEC autorizou o funcionamento do curso de Engenharia da Produção Agroindustrial, sendo que a primeira turma desse novo curso iniciou as aulas em março daquele ano.  Com o objetivo de desenvolver a pesquisa criou-se o Núcleo de Agropecuária e Agronegócios – NUAGRO, com as seguintes Linhas de Pesquisa: Sistemas de Produção, Sistemas de Qualidade e Políticas Públicas em Agronegócio.
 
Nos anos de 2005 e 2007 Setrem proporcionou para a região, através de um convênio assinado com o MEC a realização dos cursos de Iniciação em Floricultura e Paisagismo, Iniciação em Gestão de Propriedades Rurais e Iniciação Profissional em industrialização de Leite e Comercialização de Produtos Lácteos, entre outros, através do Projeto Escola de Fábrica que tem por objetivo possibilitar a inclusão social de jovens de baixa renda, por meio da formação profissional, em unidades formadoras no próprio ambiente das empresas, aproximando o setor produtivo dos processos educativos e promovendo a responsabilidade social. Em âmbito estadual, também foram realizados cursos de qualificação através do programa Plantec, bem como programas municipais atendendo a vários municípios na área de abrangência da Setrem.
 
Para uma formação básica e técnica qualificada também se faz necessário um acervo bibliográfico atualizado e condizente com a proposta pedagógica dos cursos. Desta forma, também foram destinados investimentos para a ampliação e atualização do acervo existente. 
 
A história da Setrem demonstra seu interesse na formação de profissionais para a área rural uma vez que, desde 1971, com o Curso Técnico em Agropecuária, passou a concentrar o aprimoramento da formação profissional para o aumento da produtividade e a diversificação das propriedades rurais. Essas ações são coerentes, uma vez que a Instituição está inserida numa região extremamente dependente da produção primária. Com a proposta do Curso de Agronomia, dá mais um passo para cumprir com a missão de parceira no desenvolvimento da região, através da formação qualificada de profissionais capazes de aprimorar os processos produtivos e agregar valor à produção local. Os egressos do Curso Técnico em Agropecuária atuam em diversos estados do Brasil, sendo reconhecidos pela qualidade da formação técnica, humanística e ética. Muitos destes profissionais trabalham em empresas rurais, cooperativas, agropecuárias e em instituições publicas da região. Com a oferta do Curso de Agronomia estes profissionais têm a oportunidade de uma formação continuada, conciliando o horário de trabalho com a busca da qualificação profissional no ensino superior.
 
No ano de 2008, a Setrem, embasada em toda sua experiência na formação profissional, facilitada pela infraestrutura existente, capacidade operacional de seus colaboradores e vocação regional para o desenvolvimento do setor agropecuário e agroindustrial, encaminhou junto ao MEC o projeto para autorização do curso de Agronomia.
 
No primeiro semestre de 2009, a Setrem recebeu a visita dos avaliadores do MEC para avaliação e posterior autorização para o inicio do mesmo. Ainda no primeiro semestre, no dia 05 de Março de 2009 foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) na Seção 1, página 13, a Portaria nº 278 de 03 de março de 2009 autorizando o funcionamento do curso de Agronomia, bacharelado, com 50 (cinquenta) vagas totais anuais, nos turno diurno e noturno, a ser ministrado pela Faculdade Três de Maio, na Avenida Santa Rosa, 2405, Centro, na cidade de Três de Maio, Estado do Rio Grande do Sul; mantida pela Sociedade Educacional Três de Maio, com sede na cidade de Três de Maio, Estado do Rio Grande do Sul. O primeiro vestibular foi realizado no dia 11 de julho de 2009 com uma relação de 4,72 candidatos/vaga.
 
A primeira turma do Curso de Agronomia iniciou sua caminhada no dia 17 de agosto de 2009, porém, a aula magna foi realizada no dia 04 de setembro, às 19h30min, no auditório do Campus. Na ocasião realizou-se uma palestra com o Engenheiro Agrônomo Luis Carlos Federizzi, PhD, professor titular do Curso de Agronomia da UFRGS e pronunciamento do Eng. Agrônomo Arcângelo Mondardo, então Presidente da Sociedade de Agronomia do Rio Grande do Sul (SARGS).
 
Ainda no ano de 2009 a Setrem adquiriu o Laboratório de Sementes da Cooperativa Agropecuária Alto Uruguai Ltda – Cotrimaio, efetuando os ajustes solicitados pelos fiscais do LASO/LANAGRO com posterior inscrição/credenciamento no Registro Nacional de Sementes e Mudas (RENASEM) do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). O Laboratório de Sementes da Setrem opera regularmente desde 2010, participou, em 2011, do Programa de Comparação Interlaboratorial em Sementes – Nível Nacional, promovido pela Rede Metrológica do RS e LASO/LANAGRO, atingindo índice de conformidade de 100 % em análise de sementes de trigo. No ano de 2013 o laboratório participará do mesmo programa, agora com ênfase em análise de sementes de soja. 
 
Embora as parcerias em pesquisa remetam ao ano de 2002, a partir do ano de 2009 elas foram intensificadas, sendo conduzidos (tanto na Escola-Fazenda da Setrem quanto na Área Experimental de Pesquisa da SETREM) diversos ensaios, experimentos e projetos vinculados à EMBRAPA Trigo, EMBRAPA Soja, EMBRAPA Clima Temperado, EMBRAPA Milho e Sorgo, CCGL TEC, COODETEC, entre outras. 
 
Cabe ressaltar que desde o ano de 2005, em parceria com a Cotrimaio, o Sicredi Noroeste e a EMATER/RS, contando com o apoio das empresas de pesquisa anteriormente citadas, a Instituição atua em ações de extensão promovendo cinco dias de campo ao ano (Dia de Campo de Culturas de Verão, Dias de Campo de Pecuária, Dia de Campo de Culturas de Inverno, Dia de Campo de Horticultura e Dia de Campo de Milho e Girassol).
 
Em 2009 a Setrem oferta o primeiro Curso de Inseminação Artificial para bovinos de leite, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e Sindicato Rural de Três de Maio, e, desde então, vem disponibilizando o mesmo à comunidade regional em três oportunidades anuais. 
 
No ano de 2011, em parceria com a Cooperativa de Distribuição de Energia Entre Rios Ltda – Certhil e com a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Noroeste do Rio Grande do Sul – Sicredi Noroeste RS, a Setrem adquiriu um espectrofotômetro, permitindo a efetuação de Análise Completa de Solo. Em 2012 o Laboratório de Solos da Setrem, em virtude da qualidade atingida nos serviços prestados, aferido pelo Controle de Qualidade da Rede Oficial de Laboratórios de Análise de Solo e de Tecido Vegetal dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina – ROLAS, passou a utilizar o selo da referida Rede. 
 
Atualmente o curso de Agronomia da Setrem tem um corpo discente de 201 acadêmicos, os quais, como futuros profissionais, terão que desempenhar funções sociais relevantes, comprometendo-se com o desenvolvimento regional. Desta forma, o curso de Agronomia busca a formação profissional, sendo referência em ensino, pesquisa e extensão, projetando-se como uma alternativa para a formação qualificada.

Objetivos do Curso

De uma forma geral o Curso de Agronomia da Faculdade Três de Maio – Setrem objetiva:

  • Habilitar profissionais com capacidade técnico-científica e responsabilidade social, para promover, orientar e administrar a utilização e otimização dos fatores de produção das cadeias agropecuárias em harmonia com o ambiente.
Sob uma ótica mais concreta, buscando traçar desafios capazes de propiciar o alcance do objetivo maior, o Curso objetiva, especificamente:
  • Planejar e desenvolver projetos relativos à engenharia rural, englobando sistemas de irrigação e drenagem, máquinas agrícolas, construções rurais, geodésia, topografia e geoprocessamento.
  • Elaborar e executar projetos relacionados ao melhoramento, manejo e nutrição animal.
  • Elaborar, coordenar e executar projetos em produção vegetal, abrangendo as áreas de experimentação, práticas culturais e climatologia, visando a sua exploração de modo sustentável.
  • Planejar, coordenar e executar projetos e programas nas áreas da ciência do solo e água, englobando a gênese, morfologia, classificação, fertilidade, biologia, microbiologia, uso, manejo e conservação.
  • Planejar, executar e supervisionar programas para o manejo e controle de doenças, pragas e plantas daninhas à produção vegetal.
  •  Analisar, orientar, gerir e fiscalizar processos de produção, beneficiamento e conservação de produtos de origem vegetal.
  • Analisar, orientar e gerir processos de produção, beneficiamento e conservação de produtos de origem animal.
  • Gerar e difundir conhecimentos, métodos e técnicas de produção e administração nas áreas de ensino, pesquisa e extensão.
  • Desenvolver e coordenar projetos de caráter socioeconômico, utilizando os conhecimentos de sociologia, comunicação, política, economia, administração e legislação, a fim de promover o bem estar da população.
  • Elaborar e executar projetos e programas para a agricultura familiar, com enfoque agroecológico e de sustentabilidade das pequenas propriedades rurais da região.
  • Despertar e incentivar uma visão ética, crítica e participativa nos assuntos relevantes e de interesse da sociedade.

Habilidades e Competências

As diretrizes curriculares constituem-se de uma base comum e de uma parte diversificada que deverão permitir ao profissional do curso de Agronomia ter Competências e Habilidades para:

  • Projetar, coordenar, analisar, fiscalizar, assessorar, supervisionar e especificar técnica e economicamente projetos do agronegócio e agroindustriais, aplicando padrões, medidas e controle de qualidade;
  • Realizar vistorias, perícias, avaliações, arbitramentos, laudos e pareceres técnicos, em condutas, atitudes e responsabilidade técnica e social, respeitando a fauna e a flora e promovendo a conservação e/ou recuperação da qualidade do solo, do ar e da água, com uso de tecnologias integradas e sustentáveis do ambiente;
  • Atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário interagindo e influenciando nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais;
  • Produzir, conservar e comercializar alimentos, fibras e outros produtos agropecuários;
  • Participar e atuar em todos os segmentos das cadeias produtivas do agronegócio;
  • Exercer atividades de docência, pesquisa e extensão no ensino técnico profissional, ensino superior, pesquisa, análise, experimentação, ensaios e divulgação técnica e de extensão;
  • Enfrentar os desafios das rápidas transformações da sociedade, do mundo, do trabalho, adaptando-se às situações novas e emergentes.

Corpo Docente

Ana Paula Binato Beltrão de Oliveira

Carla Elizabeth Becker

Carla Simone Sperling

Cinei Teresinha Riffel 

Claudinei Márcio Schmidt

Cléia dos Santos Moraes

Danielli Regina Scarantti

Denise da Luz Siqueira

Fábio Karlec 

Fernanda Raquel Sartor

Fernando Dornelles Fagundes

Gildor Spengler Scherer 

Graziela Cortez Sawitzki 

Helio João Franciscatto

Ivar José Kreutz 

Jesildo Moura de Lima 

Letícia dos Santos Holbig Harter

Lucas Nunes Frizzo 

Marcelino Colla 

Marcos Caraffa 

Marcos Eduardo Servat

Nelson José Fonseca Smola 

Nilvane Teresinha Ghellar Muller 

Paulo André Klarmann 

Renata Monteiro Collares Casali 

Rodrigo Danielowski

Rodrigo Pizzani 

Sandra Simoni Callegaro Hatje

Sara Breitenbach Diniz 

Tânia Maria Bayer da Silva 

Vadenilson Patussi 

Valberto Muller 

Concepções

A seguir, encontram-se explicitadas algumas concepções entendidas, pelo corpo docente do Curso de Bacharelado em Agronomia da Setrem, como fundamentais para nortear a qualificada execução de seu Projeto Político Pedagógico.

  • Ser humano

Ser social e ético regido por condições humanas, que interage com o meio em que vive, apresentando sensibilidade, senso crítico, capacidade de posicionar-se e reposicionar-se constantemente perante mudanças e desafios.

  • Sociedade

Espaço pluralista e democrático, constituído por pessoas, regido por normas estabelecidas a partir de valores éticos e morais.

  • Educação

Processo contínuo de desenvolvimento intelectual, cultural, moral e pessoal, compartilhando o saber com o grupo de convívio a partir de uma visão holística e sistêmica.

  • Educação superior

Espaço-tempo de aprofundamento do processo de desenvolvimento das habilidades e competências técnico-científicas e humanas, a partir de uma opção em nível intelectual e profissional.

  • Professor (a)

Profissional preparado, qualificado para promover, mediar e socializar o conhecimento, comprometido com o saber dentro de princípios e valores éticos.

  • Aluno (a)

Indivíduo participativo, solidário e cooperativo, que busca e gera conhecimentos, desenvolvendo o raciocínio para fazer frente às necessidades do futuro profissional integrante da sociedade.

  • Conhecimento

Saber produzido, atualizado e socializado através de experiências e informações para que se estabeleça a compreensão e a transformação das relações que regem o convívio do ser humano no mundo.

  • Currículo

Diretrizes básicas estabelecidas a partir de um conjunto de ações pedagógicas articuladas, organizadas e sistematizadas, tendo como base os componentes curriculares, para a formação profissional e intelectual do ser humano.

  • Teoria e prática

A relação entre teoria e prática é a expressão resultante da interação entre o conhecimento e a ação.

  • Profissional Engenheiro (a) Agrônomo (a)

Profissional com formação eclética, alicerçada na consciência crítica, social, ambiental e econômica, capaz de desenvolver atividades pertinentes ao seu campo profissional, gerar e aplicar conhecimentos e técnicas agronômicas adequadas às demandas agropecuárias, integrando a produção vegetal e animal com ênfase na melhoria da qualidade da vida.

ACGs

Indicador de Práticas Profissionais

O presente documento reúne as principais informações a respeito das Práticas Profissionais do Curso de Bacharelado em Agronomia da Sociedade Educacional Três de Maio – SETREM, tendo como finalidade esclarecer os acadêmicos sobre os procedimentos que deverão ser realizados, bem como sobre as exigências de desempenho previstas para as diversas atividades que o compõem.

O desenvolvimento das Práticas Profissionais possibilitará ao acadêmico e à própria Instituição a discussão sobre questões que envolvem os seus objetivos e sobre o perfil do profissional que se busca frente a um mercado de trabalho cada vez mais dinâmico, competitivo, empreendedor e tecnológico.

As Práticas Profissionais visam propiciar aos estudantes uma complementação prática dos conhecimentos produzidos no Curso, ao mesmo tempo em que aproximam os acadêmicos da realidade das propriedades rurais em suas diversas dimensões: social, econômica, técnica e ambiental.

Portanto, as Práticas Profissionais constituem-se em instrumento didático-pedagógico que visam à complementação do processo de produção de conhecimentos, com atividades a serem planejadas, acompanhadas e avaliadas em conformidade com os currículos, programas e calendários escolares, a fim de se constituir em instrumentos de integração em termos de produção prática do conhecimento, assim como de aperfeiçoamento técnico, cultural, científico e de relacionamento humano.

Todos os aspectos detectados através das Práticas Profissionais servirão para repensar e redimensionar o próprio Curso com relação às novas demandas e avanços da tecnologia no país e na região de influência e atuação do Curso de Agronomia mantido pela Sociedade Educacional Três de Maio.

 

Clique para acessar o arquivo completo

 

 

Manual de TCC

Este Manual de Trabalho de Conclusão de Curso – TCC reúne as principais informações referentes ao Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Agronomia da Sociedade Educacional Três de Maio – Setrem e tem como finalidade esclarecer os (as) acadêmicos (as) sobre os procedimentos que deverão ser realizados, bem como sobre as exigências de desempenho previstas para as diversas atividades que o compõem.
 
O TCC, com um total de 167,5 horas relógio ou 200 horas aula, é ofertado no décimo (10º) período letivo e procura desenvolver nos (as) acadêmicos (as) o espírito investigativo e crítico, motivo pelo qual ele está situado na grade curricular do Curso após o desenvolvimento das Práticas Profissionais I e II (imersão na realidade das propriedades agropecuárias regionais e na história de vida e trabalho de seus atores) e do Estágio Supervisionado (imersão na realidade do mercado de trabalho). 
 
Os princípios de atuação acadêmica das Práticas, Estágios e/ou Trabalhos de Conclusão de Curso foram inspirados naqueles que já constituem um patrimônio da humanidade no que diz respeito à Educação e à Ciência. Além destes, a Faculdade Três de Maio estabeleceu mais alguns referenciais que servem de elementos basilares para a delimitação precisa de suas práticas, estágios e/ou TCCs. 
 
O conjunto desses princípios, que são o resultado da fusão das diretrizes curriculares e da argumentação sobre a aplicação das mesmas, constitui as Normas das Práticas, Estágios e/ou Trabalhos de Conclusão de Curso da Faculdade Três de Maio. Servem, também, como ponto de partida e de fundamentação para a atuação orientada pela reflexão crítica, levando à transformação constante e a diminuição da possibilidade de se ter incoerência entre o discurso e atuação, entre a realidade e as versões produzidas sobre ela.
 
A realização do Trabalho de Conclusão de Curso possibilitará aos (às) acadêmicos (as) e à própria Instituição a discussão sobre questões que envolvem os seus objetivos e sobre o perfil do profissional que se busca frente a uma realidade cada vez mais dinâmica, competitiva, empreendedora e tecnológica.
 
Todos os aspectos detectados através do desenvolvimento do TCC servirão para repensar e redimensionar o próprio Curso com relação às novas demandas e avanços da tecnologia no país e na região de influência e atuação do Curso de Bacharelado em Agronomia da Faculdade Três de Maio, mantida pela Sociedade Educacional Três de Maio.
 
 
 
 
 

Manual de Estágio

Oportunidades de atuação

  • Administração Rural e Defesa Sanitária
  • Produção e Administração Agroindustrial
  • Engenharia Rural e Economia
  • Fitotecnia e Indústria e Venda de Alimentos
  • Manejo Ambiental
  • Melhoramento Animal e Vegetal
  • Silvicultura, Solo e Zootecnia
  • Projetos Sociais voltados ao Campo
  • Gerência em Empresas, Cooperativas e ONGs
  • Consultoria, Assessoria ou Vistoriador
  • Processo de Concessão de Crédito Rural para Produtores
  • Ministério da Agricultura ou Secretarias Estaduais e Municipais

Informações de contato

Coordenador: Marcos Garrafa

Av. Santa Rosa, 2405
Prédio 6 – Campus Setrem 

55 3535-4611
garrafa@setrem.com.br

Segunda – Sexta
9:00A.M. – 5:00P.M.

 

Conecte-se conosco

     

 

Como ingressar

Para iniciar o curso de Administração é necessário realizar o Vestibular ou utilizar a sua nota da redação do Enem.

A Setrem oferece também a possibilidade de ingresso extravestibular nos cursos de graduação através de transferência, reingresso, diplomado e aluno especial.